Corpo da adolescente morta em SP é enterrado em Uberlândia

Acontece nesta terça-feira (18) o enterro da adolescente Jaciene Ianca Silva Faria, de 16 anos, que foi morta em São Vicente-SP no último sábado (15). A menor morava em Uberlândia e há quatro meses estava na cidade paulista, na casa da madrasta Luciana, que é a principal suspeita de ter cometido o assassinato. Ela está presa preventivamente.

Jaciene Ianca foi encontrada morta no quarto da casa da madrasta com golpes de faca e um fio enrolado ao pescoço. A família da vítima encontrou um diário onde Jaciene fala do medo de ser morta pela madrasta. Luciana passou por exames para recolher material que será usado pela perícia para comparar com roupas sujas de sangue encontradas na casa da suspeita.

Segundo a polícia de São Vicente, Luciana foi presa após um depoimento cheio contradições. Na casa dela, policiais localizaram uma faca com vestígios de sangue, que pode ter sido usada no homicídio. No entanto, a suspeita afirma também ter sido vítima.

Segundo ela, um homem invadiu sua casa por volta das 7h, a amarrou, amordaçou e vendou os olhos e teria ido matado Jaciene.

A tia da garota, Letícia Pereira da Silva Faria, disse que só soube desta notícia depois de ter visto na internet. A família da garota reside em uma casa humilde em um dos bairros mais simples de Uberlândia, a 550 quilômetros de Belo Horizonte.

Os avós, que criaram a garota desde os primeiros anos de vida, mostram as fotos de Jaciene na escola, ainda criança e os trabalhos publicados em revista.

A avó, Jovelina Pereira da Silva afirma que procurou várias instituições para trazer a neta de volta para casa, mas não teve resposta. Segundo ela, a adolescente viajou para a casa do pai a convite da madrasta.

“Ela foi com previsão de voltar na terça-feira e a Luciana ficou enrolando, não dava informações pra gente do endereço onde ela estava. Eles falavam que ela ia ficar lá. De repente a menina liga falando, “eu não vou voltar mais””, disse.

Em São Vicente, o pai da garota está preso há seis meses, segundo a família, por envolvimento com drogas.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *