Participantes que têm atendimento especial no Enem

Ministério da Educação vai viabilizar provas para 45 inscritos nos estados do Ceará, Goiás e São Paulo (Imagem: Agência Brasil)

Ministério da Educação vai viabilizar provas para 45 inscritos nos estados do Ceará, Goiás e São Paulo (Imagem: Agência Brasil)

Para garantir o acesso a todos os inscritos no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), responsável pela aplicação das provas, oferece atendimento especializado aos participantes internados em hospitais e os que seguem religiões sabatistas, ou seja, que guardam os sábados.

Ao todo, em 2016, o órgão deferiu os pedidos para que 45 inscritos realizem o exame em hospitais no estados do Ceará, Goiás e São Paulo. Nesta edição, dos 101.902 atendimentos específicos deferidos, 76.275 foram para sabatistas.

Sabatistas

Para eles, o teste só começa ao anoitecer do sábado, 5, mas o dia de prova começa antes: os estudantes ficam reunidos em uma sala, em local de prova, desde o início do exame para os outros alunos, evitando assim fraudes.

O participante que marcou a opção “guardador de sábado por convicção religiosa” deverá comparecer ao local de realização às 12h (horário de Brasília) e aguardar até as 19h (horário de Brasília). Devido ao fuso, os participantes de Roraima, Rondônia, Amazonas, Acre, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul deverão aguardar até as 19h do horário local.

Durante a espera, a partir da entrada na sala de provas, os participantes sabatistas não podem fazer nenhum tipo de consulta, comunicação ou manifestação até o fim do exame, sob pena de eliminação do Enem.

Candidatos internados

Durante o período de inscrição, os candidatos que frequentam classes hospitalares puderam optar pelo atendimento específico. Esses estudantes recebem aulas nas próprias unidades de saúde.

Os estudantes que solicitaram o atendimento são pacientes diagnosticados com doenças crônicas ou que fazem o tratamento prolongado nos hospitais.

Contudo, o Inep exclui dessa condição os participantes que estiverem internados para realizar partos ou cirurgias ou tratamentos esporádicos ou ainda quem for internado no dia da prova, marcada para 5 e 6 de novembro.

Para aplicar as provas aos inscritos internados, um profissional do Ministério da Educação vai acompanhar a resolução do exame pelos candidatos, que estarão sujeitos às mesmas regras previstas no edital para os demais participantes. O tempo para fazer a prova também será o mesmo: 4 horas e 30 minutos no primeiro dia e 5 horas e 30 minutos no segundo.

Serão aplicadas quatro provas objetivas abrangendo diversas áreas de conhecimento ensinadas no ensino básico e médio: ciências humanas e suas tecnologias; ciências da natureza e suas tecnologias; matemática e suas tecnologias; e linguagens, códigos e suas tecnologias; e redação. O aluno pode optar por inglês ou espanhol na prova de língua estrangeira.

Ensino superior

Todos os estudantes com nota acima de 600 pontos no exame podem se inscrever no Sistema de Seleção Unificada (Sisu) para tentar uma vaga nas universidades federais. É possível também tentar o ensino técnico por meio do Sistema de Seleção Unificada da Educação Profissional e Tecnológica (Sisutec).

Portal Brasil

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *