Polícia Ambiental apreende animais silvestres que eram mantidos em cativeiros no Bairro Guarani

Previous Image
Next Image

info heading

info content


 

Neste domingo, 24, a Polícia de Meio Ambiente de Uberlândia realizou, após denúncias da comunidade, duas ocorrências de animais silvestres mantidos em cativeiro no Bairro Guarani, zona Oeste de Uberlândia.

A primeira ocorrência foi desenvolvida em dois endereços. Um idoso de 78 anos foi preso na Rua das Valsas e com ele apreendidos seis canários da terra, pássaros estes pertencentes à fauna silvestre brasileira, e também um alçapão para captura de aves.

No segundo endereço, Um homem de 44 anos foi preso na Rua da Aeróbica. Depois de buscas na residência foi encontrado no fundos do imóvel dentro de uma gaiola, um mico de tufo preto, sendo este também um animal silvestre.

PeixesA segunda ocorrência foi feita em uma feira de carros no complexo do Parque do Sábia, onde denúncias foram feitas a respeito de um indivíduo vendendo peixes em uma caixa de isopor no chão. Ao ir até o local os policiais encontraram um homem de 23 anos que fazia o comércio do pescado. Segundo os militares, ele realmente estava utilizando uma caixa de isopor no chão, sem nenhuma proteção contra o sol.

O vendedor alegou que os pescados pertenciam a outra pessoa e ele apenas fazia a venda. Os peixes estavam com sinais de terem sido pescados com redes e não tinham documentação de comprovação de origem.

Foram apreendidas cinco espécies: tucunaré, barbado, piranha, mandi e traíra, que totalizaram 15 kg.

O que gerou a desconfiança de a venda dos peixes ser ilícita é que todos estavam com o mesmo preço. Os peixes apreendidos foram encaminhados para o Laboratório de Ensino e Pesquisa em Animais Silvestres da Universidade Federal de Uberlândia – LAPAS/UFU, para destinação que o órgão julgar necessário, como por exemplo descarte em local adequado.

Os envolvidos nas ocorrências citadas foram encaminhados para Delegacia de Polícia Civil para providências de Polícia Judiciária.

Informações por Léo Soares

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *