Empresário de Uberlândia é condenado duas vezes por crime que não cometeu, diz advogado

Caso ValdeciUm impasse entre os judiciários de Minas Gerais e de São Paulo mantém a prisão um homem aqui de Uberlândia, no Triângulo Mineiro, condenado duas vezes pelo mesmo crime, que segundo a defesa, não cometeu. O caso ganhou força nas redes sociais.

Na primeira condenação, o empresário Valdeci Pereira, de 52 anos, foi julgado em 2005 pela justiça de Minas Gerais pelo crime de receptação de uma cabine de um caminhão roubado. Foi condenado a 3 anos, mas mediante recurso, pagou em liberdade, com pena revertida em ação social.

Valdeci é empresário no ramo de autopeças. Um de seus clientes e também amigo, morreu em um acidente de caminhão em 2004. A esposa deste amigo, a fim de retomar a vida, resolveu reformar o caminhão e pediu ajuda ao Valdeci. O empresário indicou um local onde a amiga poderia encontrar uma nova cabine.

Segundo a Polícia, a cabine foi tomada de assalto em Guaíra-SP, por um bando de cinco criminosos, que embebedaram o motorista e seu ajudante. Um deles, por sofrer do coração e ser intolerante ao álcool, morreu durante o crime.

Seis meses depois, o sobrevivente saiu de Guaíra-SP em busca de seu caminhão e descobriu que a cabine estava aqui em Uberlândia. Prestou queixa e reconheceu Valdeci por foto, como um dos autores do crime. O advogado de defesa alega que Valdeci é apenas parecido com o autor, ambos são afrodescendentes.

Agora, em 2015, a justiça de São Paulo condenou Valdeci pelo crime de latrocínio, já que uma das vítimas do roubo morreu ao ser embriagada pelos criminosos.

O advogado Moacir Henrique Júnior alega a condenação por latrocínio é decorrente do mesmo crime, de roubo da cabine, crime este que o acusado já pagou na justiça mineira por receptação.

Valdeci já está preso há oito meses após ser novamente condenado, agora a 20 anos em regime fechado.

O caso é considerado pelo advogado e familiares como um erro judicial. “Hoje, o Tribunal de Justiça de São Paulo reconhece que Valdeci foi o autor da subtração do bem que Minas Gerais entendeu que ele havia receptado. Como pode uma única cabine de caminhão, a pessoa ter subtraído e depois receptá-la? É um erro cracho  do judiciário.”

Uma campanha foi feita no facebook. A página é aberta e conta a história de vida do suspeito e detalhes do caso que levou o empresário para trás das grades.

Confira a reportagem e a entrevista com o advogado e a esposa de Valdeci, Eliane Nogueira da Silva Pereira: 

6 respostas a Empresário de Uberlândia é condenado duas vezes por crime que não cometeu, diz advogado

  1. Karla disse:

    O link da entrevista esta como privado

  2. Naiane Moura disse:

    Essa injustiça tem quer ser reparada urgente! É uma pessoa inocente que está sofrendo na prisão! É uma vida que está se perdendo!

  3. Ana disse:

    Palhaçada viu… Vão prender traficante, assaltante, assassino… Se ele cometeu o crime ou não, eu não sei e não posso julgar, mas há crimes bem mais sérios que precisam de uma atenção da justiça e que não são solucionados. Coitado pagar 20 anos por receptação??? E quem roubou? Nem preso vai né…. Brasil !!!!!

  4. Eliane disse:

    Que seja feita justiça! Acreditamos na inocência de Valdeci e não vamos desistir de lutar por sua liberdade!

  5. Em nome dos familiares do Sr. Valdeci, gostaria de agradecer à jornalista Carolina Vilela pela brilhante matéria. Esperamos que o jornalismo sempre possa auxiliar a sociedade a promover a Justiça, afinal, um dos princípios da Administração Pública é a publicidade, e que no caso em questão só se foi possível com o auxílio da mídia. Parabéns mais uma vez! #somostodosvaldeci

  6. Diogo disse:

    Pedimos por justiça

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *