Palestra voltada para homens aborda a valorização da mulher

“Que tal um papo de homem para homem?” foi o tema da palestra ministrada pelo psicólogo Rafael Barbosa Silva com a finalidade de desenvolver ações voltadas à prevenção e enfrentamento da violência contra as mulheres. O evento aconteceu nesta quarta-feira, no auditório do Centro Administrativo, e integra o calendário de atividades da Secretaria Municipal de Governo, coordenado pela Superintendência da Mulher. Durante uma hora e meia, Rafael abordou temas do mundo feminino, questionou os participantes sobre as diferenças entre homens e mulheres e como entender o sexo oposto. “Temos que iniciar o debate falando desde o processo da constituição humana até chegarmos às causas dos desencontros amorosos”, sintetiza o palestrante que é membro do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e Adolescente e voluntário na ONG Pontes de Amor.

Nesta palestra o público alvo foram os homens justamente por serem considerados agentes sociais importantes na defesa da igualdade de gênero e no combate à violência contra as mulheres. Na lista das principais agressões está violência sexual e psicológica como humilhação, desrespeito, indiferença.

A presidente da ONG SOS Mulher, Claudia Cruz, disse que até outubro deste ano foram atendidos 700 casos envolvendo mulheres em fase de namoro, união estável e casamento. “Não existe um estereótipo específico para a agressão, todas trabalham fora de casa. E o pivô sempre são situações de ciúme, término de relacionamento. Em alguns casos, existe o uso de drogas lícitas e ilícitas por parte do agressor”, enfatiza.

Valorização

Um dos 100 participantes do evento, o coordenador do Programa Mais Educação da Secretaria de Educação, Alcides Melo, considera positiva esta ação da Prefeitura. “Todo o processo de mudança de hábito, historicamente, é lento. E os homens precisam se adaptar. No campo conjugal e da amizade precisamos saber da importância da mulher, não só como companheira, mas como ser humano”, diz.

“É importante a palestra porque ajuda a conscientizar os homens. A mulher não merece qualquer tipo de violência, seja ela física ou emocional”, disse o assistente administrativo Sidney Rodrigues, que trabalha na Secretaria de Governo. Para a presidente do Conselho Municipal dos Direitos das Mulheres, Lúcia Helena de Paula Menezes, é fundamental a participação dos homens neste evento. “É bom que todos saibam destas discussões porque, às vezes, não tem conhecimento da nossa luta. Quem está aqui [na palestra] mostra que tem mentalidade aberta, cordial e valoriza a cidadania”, disse.

O projeto “Uberlândia Contra o Feminicídio” iniciou em 25 de novembro, data alusiva ao Dia Internacional de Violência Contra Mulher e encerra nesta quinta-feira (10) com o Dia Internacional de Direitos Humanos. Durante 16 dias de ativismo foram desenvolvidas várias atividades, como a Blitz Educativa “Chega de Violência Contra Mulher.

“As mulheres participaram de outros trabalhos, e agora é a oportunidade dos homens. Fizemos esta atividade também porque houve um crescimento no índice de assassinatos de mulheres na cidade. É importante a valorização do sexo oposto no princípio da igualdade”, disse a superintendente da Mulher, Marli Anastácio. A parceria deste trabalho conta com apoio da Polícia Militar, da Secretaria Municipal de Administração, Comissão de Direitos Humanos, Sociais e do Consumidor da Câmara de Vereadores.

Fonte: Prefeitura de Uberlândia 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *