Central de Libras auxilia na comunicação entre surdos e ouvintes

38538

Imagem: Prefeitura de Uberlândia

Estimada em 662 mil pessoas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a população de Uberlândia é a segunda maior de Minas Gerais. Dentro desse universo há um índice que matematicamente pode ser pequeno, mas que demanda atenção como todos os demais habitantes. O número de pessoas surdas em Uberlândia é de aproximadamente duas mil, o que representa 0,3% do total da população.

O que pouco se sabe é que as vivências cotidianas, como receber o diagnóstico em uma consulta médica, resolver questões judiciais, entender a mensagem de uma carta e até mesmo participar de uma entrevista de emprego são situações que impõem muitas dificuldades àqueles que têm deficiência auditiva. O motivo é a dificuldade em estabelecer a comunicação correta.

Para facilitar a vida dos surdos em Uberlândia, a cidade foi a primeira do interior mineiro a ter uma Central de Intérprete de Libras (CIL), inaugurada em dezembro de 2013. O equipamento, criado numa parceria entre Governo Federal, Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese) e Prefeitura de Uberlândia, teve as atividades paralisadas em outubro de 2014 e retomadas em agosto deste ano.

Agora em novo endereço (rua Cecílio Jorge, 35, bairro Santa Mônica) a CIL conta com quatro intérpretes de Língua Brasileira de Sinais (Libras). Além de funcionar na sede da Superintendência Municipal da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Urbana, a prefeitura auxilia com a estrutura de mobiliário, computadores e motorista.

Desde a reabertura, a central já atendeu a mais de 140 solicitantes. “Através de agendamento, as pessoas surdas podem solicitar o acompanhamento de intérprete em hospitais, tribunais e locais de atendimento público para realizar uma comunicação precisa entre surdos e ouvintes. Os intérpretes de Libras também atendem virtualmente por e-mail e chamadas de vídeo”, disse a superintendente da pasta, Cláudia Coutinho.

Intérprete da CIL, Danielle Alves de Passos explica que Libras é a primeira língua dos surdos. “Quando o surdo recebe um documento e tem de ler alguma coisa em portugues, geralmente necessita da interpretação para a Libras. Se ele digitaliza o documento, a gente faz a interpretação por vídeo e resolve o problema dele sem precisar se deslocar até a central”, relatou.

Atendimento médico

Ainda segundo Danielle de Passos, o serviço oferecido pela CIL chega a emocionar as pessoas que solicitaram o auxílio dos intérpretes após a solução de um problema. “A falha na comunicação é muito comum e muito triste. A interpretação é importante para eles, porque já houve situações sérias de saúde em que não entendiam o que o médico falava. Inclusive, em alguns casos medicações eram tomadas erradas por não entenderem as orientações”, exemplificou.

Desde 2004 a linguagem de sinais se tornou uma língua. Kleber Junio comentou que a Libras é complexa. “Existem todos os parâmetros, classe gramatical, toda a estrutura que compõe uma língua, porém com outros detalhes, como a expressão facial e corporal. Na Libras é preciso ficar em pé e expressar todo o corpo”, esclareceu.

A Central de Intérprete de Libras funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 16h. Os agendamentos e solicitações podem ser feitos através de:

– Telefone: (34) 3235-4174

– E-mail: [email protected]

– Skype: [email protected]

Prefeitura de Uberlândia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *