Guerra contra o Aedes Aegypti é diária e de toda Uberlândia

Guerra contra o Aedes Aegypti é diária e de toda UberlândiaO enfrentamento contra o Aedes Aegypti não para em Uberlândia. As doenças transmitidas pelo mosquito estão cada vez mais causando mais complicações à população brasileira. No município, ainda não há registro de casos da chikungunya nem da zica, mas os casos de dengue foram muito elevados este ano. E para ficar livre das doenças é indispensável o envolvimento da população.

A Prefeitura de Uberlândia, por meio de diversas secretarias, promoveu um encontro com os alunos da Escola Municipal Professor Eurico Silva, no São Jorge, na manhã desta quinta-feira. Na ocasião, foi formalizado um pacto entre as secretarias de Saúde e de Educação que prevê o fortalecimento das ações de educação em saúde, principalmente voltadas para o combate ao Aedes. Cerca de 400 alunos de 09 a 16 anos, professores, servidores da Prefeitura e do Centro de Controle de Zoonoses, agentes comunitários de Saúde participaram deste momento simbólico, mas que carrega um compromisso pelo bem da saúde pública em Uberlândia.

“Trabalharmos todos por um mesmo objetivo e por melhorias na saúde. Isso também significa educar as pessoas na cooperação do bem-estar social. Este é um conceito que começa nas escolas e nas casas. É desta maneira que faremos uma cidade educadora”, disse o prefeito Gilmar Machado.

Apostando em soluções criativas e práticas para ter êxito contra a dengue, a Prefeitura está revitalizando nas escolas o programa Observatório da Saúde, que já existia com a finalidade de debater e orientar temas específicos de saúde presentes no cotidiano escolar. A secretária de Educação, Gercina Santana Novais, esclarece que as temáticas de saúde estão presentes nas salas de aula das 118 escolas da rede municipal da zona urbana e rural. “Focamos em desenvolver um ensino que engloba os meios sociais presentes em torno da escola e das famílias. Cuidamos da conscientização na saúde nos espaços públicos estimulando a participação dos alunos e da comunidade nas ações práticas em educação e saúde”, disse.

Este ponto de vista é compartilhado por profissionais de ensino em Uberlândia. Segundo André Luiz Andrade, diretor da escola Professor Eurico Silva, esta mentalidade que insere o aluno na temática de saúde de sua comunidade, mobiliza um número maior de pessoas mais conscientes da prevenção e que reforçam as ações contra as doenças em períodos de campanha. “Abordando naturalmente no ambiente escolar discussões sobre combate as drogas, alimentação saudável, prevenção de gravidez na adolescência, fica simples envolver os alunos na causa do combate ao mosquito da dengue. Essa abordagem leva aos jovens um conceito de saúde mais amplo e prático”, explica.

O diretor de Vigilância em Saúde, Samuel do Carmo Lima, disse que o trabalho de orientação e mobilização popular contra o mosquito será uma estratégia constante nas ações da vigilância em saúde no município. “Crianças em idade escolar tem um papel fundamental neste processo. Não se pode esperar que elas sejam os agentes de saúde do futuro; com a devida orientação elas são os agentes de saúde de hoje”, afirmou.

Mais aliados

A luta contra o mosquito da dengue estende em várias frentes. A tática mais eficiente para o combate às larvas é uso de predadores naturais. O popular lebiste (peixe que se alimenta das larvas) é o mais conhecido, mas a Prefeitura de Uberlândia já utiliza o platy, outro peixe mais voraz e mais viável no controle das larvas.

Reforçam também a estratégia de combate à dengue o apoio ininterrupto dos profissionais das Unidades Básicas de Saúde da Família (UBSFs), oferecendo orientação voltada para mobilizar os moradores a eliminar os focos de transmissão e a água parada. Cursos de capacitação com Agentes Comunitários de Saúde, Agentes de Controle de Zoonoses e Agentes de Saúde Escolar já aconteceram em 21 unidades de saúde enquanto outras 23 estão em andamento. Aproximadamente 460 agentes de saúde servirão atuando como multiplicadores nos seus territórios de atuação com a missão de envolver setores públicos, privados e instituições ligadas a comunidade. Até dezembro todas as 73 UBSFs espalhadas nos setores de Uberlândia, estarão preparadas para atuar de forma eficaz e preventiva, além de orientar maior número de pessoas em suas casas sobre o combate à dengue.

Fonte: Prefeitura de Uberlândia 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *