Dieta macrobiótica promete curar doenças físicas e mentais

Grande parte das pessoas busca equilíbrio na vida. Entre trabalho e vida pessoal, dever e lazer, razão e emoção. A dieta macrobiótica prega exatamente isso: o equilíbrio.

Mais do que uma dieta, ela é uma filosofia de vida. Adotar a dieta macrobiótica (macro-grande, bio-vida) é adquirir a capacidade de viver de forma grandiosa. A alimentação é o grande pilar para chegar a essa capacidade. Comer de forma simples e equilibrada, segundo a macrobiótica, é a base para a saúde e para conviver harmoniosamente com toda a natureza.

Conhecendo a macrobiótica

A macrobiótica foi fundada por George Ohsawa e é baseada na filosofia chinesa do Yin e Yang. A bipolaridade do “yin” e do “yang” prega que tudo tem energias metafísicas, inclusive alimentos e que a harmonia é atingida alcançando o equilíbrio entre essas energias. Assim, a dieta relaciona alimentos e suas propriedades, servindo para alcançar a saúde física e mental.

Embora nada seja extremamente proibido na dieta, é recomendável abandonar leite e derivados, consumir pouca proteína animal (somente de 2 a 3 vezes por semana) e não consumir produtos processados, transgênicos ou com agrotóxicos.

Essas restrições da macrobiótica prometem uma profunda desintoxicação do organismo, já que a dieta promove o equilíbrio e retira possibilidades de excessos alimentícios.

Como equilibrar o consumo de alimentos yin e yang

Segundo a Nutricionista e professora da UNIME, Margaret Ribeiro Mendes, os alimentos yin e yang representam os opostos: “o yin é doce, o frio e o passivo; o yang, o salgado, o quente e o agressivo. Por isso, a dieta busca principalmente equilibrar o yin e o yang”.

A macrobiótica prega o consumo equilibrado dos alimentos. Segundo a dieta, a alimentação influencia diretamente na personalidade das pessoas. Assim, consumir mais alimentos de um grupo do que outro pode gerar desequilíbrio. Quem consome mais alimentos do grupo yin tende a tornar-se uma pessoa depressiva, dependente e com comportamento relaxado. Já quem tem alimentação extremamente yang pode desenvolver personalidade agressiva, dominadora e impaciente.

Na macrobiótica os alimentos são divididos em 5 grupos: yin, intermediário yin, yang, intermediário yang e equilibrados (ou neutros). Os alimentos neutros devem ser os mais consumidos, seguidos pelos intermediários yin e yang. Já os exclusivamente yin e yang devem ser consumidos em quantidades mínimas.

Confira abaixo em quais grupos alguns alimentos estão:

Imagem: Dicas de Mulher

Imagem: Dicas de Mulher

6 passos iniciais para adotar a dieta macrobiótica

Ao adotar uma nova dieta, é preciso fazer a transição aos poucos, incluindo e excluindo alimentos calmamente. Na macrobiótica, nenhum alimento é proibido, mas alguns deles devem ser consumidos em quantidades mínimas. Já outros devem estar em todas as refeições. Veja a seguir 6 dicas para começar a adotar a dieta macrobiótica:

  1. Os cereais integrais são a base dessa dieta e devem compor de 40 a 60% das calorias diárias. Inclua-os em todas as refeições;
  2. Na macrobiótica a digestão começa na boca, portanto mastigue muito bem os alimentos;
  3. Diminua gradativamente o consumo de alimentos processados;
  4. Opte sempre por alimentos orgânicos. Transgênicos e agrotóxicos não são bem vindos;
  5. Dê preferência a frutas e verduras da estação. A natureza é sábia e gera alimentos específicos para serem comidos em determinadas regiões e climas;
  6. A maneira como você cozinha é importante na macrobiótica. A chama do fogão é responsável por passar boas energias aos alimentos. Evite micro-ondas ou fogões elétricos.

Fonte: Dicas de Mulher

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *