Ex-estagiária do INSS é presa em BH acusada de rombo de R$ 20 milhões

Imagens: Reprodução/TV Alterosa

Imagens: Reprodução/TV Alterosa

Na manhã desta sexta-feira, 21 de novembro, a Polícia Federal desmontou uma organização especializada em fraudar o INSS, em Belo Horizonte. A investigação descobriu que uma ex-estagiária da instituição, investigada em diversos inquéritos policiais e já condenada pela Justiça Federal em duas ações penais pela prática de estelionato, continuava agindo em Belo Horizonte e no interior do Estado.

A prisão da psicóloga aconteceu na parte da manhã, na Rua Augusto de Lima, no Bairro Barro Preto, em cumprimento de um mandato de busca e apreensão. De acordo com o delegado Felipe Drumond, apesar de já ter sido condenada anteriormente, Larissa Vilela Pongetti estava em liberdade pelo fato de quando a pena é até quatro anos de reclusão, pode ser convertida em pena substitutiva ou restritiva de direito, que foi o caso dela.

A estelionatária vinha cometendo crimes contra o INSS desde 2004. Por já ter sido estagiária do instituto, Larissa oferecia ajuda para as pessoas se aposentarem, cobrando aproximadamente R$ 1500,00 mais o valor do primeiro benefício para fornecer documento de vínculos empregatícios falsos. A maioria desses documentos eram de tempo de serviço em órgãos públicos. As pessoas que conseguiram se aposentar através desse processo também serão investigados.

A ex-estagiária responderá pelos crimes de uso e falsificação de documentos e estelionato qualificado. Ela pode ser condenada a seis anos e meio de prisão por golpe. O rombo nos cofres públicos estão estipulados em torno de R$ 20 milhões.

Fonte: TV Alterosa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *