Sede das superintendências de Igualdade Racial e da Mulher é inaugurada

Sede das superintendências de Igualdade Racial e da Mulher é inauguradaFoi inaugurada na tarde desta quarta-feira (15), a sede das superintendências municipais da Mulher e da Igualdade Racial. As duas estruturas vão funcionar em uma casa na avenida Nicomedes Alves dos Santos, nº 728, no bairro Lídice. A antiga residência foi desapropriada para a construção do viaduto que cruza a avenida Rondon Pacheco e, desde então, estava inutilizada. A Secretaria Municipal de Obras e a Empresa Municipal de Apoio e Manutenção (Emam) foram responsáveis pela reforma do local que atende a todos os requisitos de acessibilidade.

Criadas recentemente, as superintendências vão trabalhar com uma equipe de quatro funcionários cada, além das chefes das pastas: uma secretária de gabinete, um assessor de projetos e dois auxiliares administrativos. A sede começa a funcionar a partir desta quinta-feira, por enquanto em horário comercial. “Esse é um espaço preparado para desenvolvermos nossas políticas de inclusão social e políticas transversais. É a demonstração de que criamos condições para que as superintendências possam promover os trabalhos articulados com as demais secretarias”, afirmou o prefeito Gilmar Machado.

Com o espaço físico garantido, a superintendente da Mulher, Fátima Matias, anunciou projetos que serão desenvolvidos em curto prazo: um curso de 180 horas para as pessoas que lidam com a mulher em situação de violência e um trabalho de prevenção à violência da mulher para com os filhos. “Vamos seguir os eixos da política nacional e dar visibilidade para a promoção da autonomia da mulher.”

Na mesma direção vai trabalhar a Superintendência da Igualdade Racial. A prioridade será desenvolver políticas públicas de combate à discriminação. As ações serão planejadas visando ao direito de cidadania das etnias que sofrem com a exclusão social, como a do negro, indígena e ciganos. Um mapeamento será feito para saber quais outras etnias existentes em Uberlândia se enquadram nesse contexto. “Agora temos um espaço legitimador das nossas conquistas e juntos com a sociedade civil vamos traçar nossos caminhos. Queremos unir desenvolvimento com justiça social”, destacou a superintendente Marli Anastácio.

As superintendências são ligadas à Secretaria Municipal de Governo, pasta gerida por Rosângela Paniago. ”Começamos a gestão fazendo um diferencial em que as superintendências não ficaram só no papel. Elas têm um espaço para receber as pessoas. Temos de cumprir com o que é direito delas”, disse a secretária.

As outras residências que foram desapropriadas às margens do viaduto também serão adaptadas e ocupadas. A princípio, a Secretaria Municipal de Gestão Estratégica, Ciência e Tecnologia e a Emam devem ser transferidas para as casas, assim como dois equipamentos da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social e Trabalho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *