Saúde – 5 fatos sobre o seu coração que você não sabia

Dúvidas sobre o coração1. Ausência de sintomas não significa um coração sem problemas
Em geral, as pessoas ficam esperando sentir algo para fazer exames de avaliação. “Isso é um erro grave. Todas as doenças são traiçoeiras, mas as de coração são muito mais”, afirma o médico. O especialista explica que uma em cada três pessoas que tem obstruções nas artérias do coração apresenta como primeira manifestação a morte súbita. O outro terço tem como primeiro sintoma o infarto e acaba com a qualidade de vida prejudicada. Dessa forma, apenas um em cada três indivíduos tem sintomas “mais leves”, com a oportunidade de se tratar e tentar mudar a evolução dessa doença. A recomendação é a avaliação periódica, mesmo sem sentir nada.

2. Mulheres estão relativamente protegidas de doenças do coração até a menopausa
Segundo o médico, a mulher está relativamente protegida contra doenças cardiovasculares durante a idade fértil por causa dos hormônios. “Em geral, essas enfermidades se manifestam 10 anos mais tarde no organismo feminino do que no masculino. Quando isso ocorre, como via de regra, alguns anos após a menopausa, a doença coexiste com várias outras, o que torna o seu prognóstico mais desfavorável”, diz Dante. Não à toa se tornou a principal causa de morte do sexo feminino no mundo ocidental, maior do que o câncer de útero e de mama.

3. Fortes emoções podem, sim, afetar o coração
Mesmo com as artérias do coração normais é possível ter um infarto quando a pessoa passa por fortes emoções. A chamada “Síndrome do Coração Partido” ocorre sobretudo nas mulheres de meia-idade e é pouco conhecida até entre os médicos. “Chamada oficialmente de cardiomiopatia de Takotsubo, ela foi relatada pela primeira vez por médicos japoneses no início dos anos 1990. Embora costume ter bom prognóstico, pode levar à morte”, explica o Dr. Dante.

4. Se você tem 40 anos, já deveria ter feito um check-up
“Os fatores de risco como obesidade, tabagismo, sedentarismo, alterações nos níveis de colesterol e triglicerídeos, diabetes e herança genética não são bons sinais isoladamente e muito pior se associados. Essa soma de fatores determina com qual idade fazer o check-up, mas quem possui 40 anos deve redobrar os cuidados”, esclarece o Dr. Dante. Vale lembrar que check-up não é igual para todo mundo e, quando feito sem conhecimento prévio da saúde do paciente, pode expor a procedimentos e custos desnecessários. A avaliação de quais exames fazer e se é preciso aprofundá-los, ou não, é feita por um médico de confiança e capacitado para tal. “A medicina moderna não pode ser igual para todo mundo, porque todo mundo não é igual”, finaliza o cardiologista.

5. Colesterol bom alto não é garantia de coração saudável
O chamado colesterol bom (HDL) retira o colesterol ruim (LDL) que adere às artérias e inicia a formação dos trombos. Porém, por ser em valor absoluto muito menor do que o LDL, ele não é suficiente para, por si só, ter efeito protetor. “Hoje, já é possível aumentar o bom colesterol com medicamentos, mas a atividade física regular ou mesmo uma taça de vinho tinto geram esse efeito de maneira mais eficiente”, detalha o cardiologista.

Dúvidas sobre o coração 2O Dr. Dante Senra atende em consultório em São Paulo, em frente ao hospital Sírio-Libanês. Além disso, quem quiser saber mais sobre o coração e obter outras dicas de saúde pode conferir o programa “Mitos e Verdades”, com o médico, sempre às segundas e quartas-feiras, entre 7h e 9h da manhã, na rádio Antena 1, frequência 107.1 na capital paulista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *