Ataques de cães podem ser evitados com adestramento

Mulher é atacada por Pit Bull em Uberlândia

Mulher é atacada por Pit Bull em Uberlândia

Mais de 500 pessoas por ano são atacadas por cães no Brasil. Levantamento do Ministério da Saúde aponta crescimento anual de aproximadamente 25% nos casos de internações hospitalares motivadas por mordidas de animais nos últimos dois anos. Para evitar o problema é preciso “educar” o cão.

Uma mulher de 26 anos foi atacado por um cachorro da raça Pit Bull, no Bairro Osvaldo Resende, região central de Uberlândia.Os ferimentos foram nos dois braços, na perna direita e no peito. Ela segurava o portão da casa ao lado no momento em que a vizinha tentava colocar o animal no quintal, após ter fugido para a rua. A vítima também ficou com várias lesões por todo corpo.

Rogério Martins é adestrador de cães. O profissional avalia que um cachorro da raça Pit Bull é um animal mais forte em comparação às outras raças e a mordida é considerada mais “poderosa”.

No caso do ataque que aconteceu no bairro Osvaldo Resende, Rogério disse que uma forma inadequada de lidar com o cachorro pode ter contribuído.

Fernando Souza

Assista à reportagem completa com o repórter Fernando Souza e imagens de Romens Almeida:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *