Perda de massa muscular agrava o surgimento de doenças

Tônus muscularMuitas pessoas pensam que a prática de atividade física está ligada somente à beleza. Pelo contrário, isso se reflete não só na saúde física como também na saúde mental daquele que exercita o corpo com frequência para a manutenção do organismo. No Brasil cerca de 52% da população está acima do peso, segundo o Ministério da Saúde.

Esses dados indicam que o país tem uma tarefa séria a se realizar: a conscientização dos benefícios da prática de atividades físicas. Mais do que emagrecimento, a musculação possibilita o fortalecimento da musculatura esquelética evitando doenças como artrite e artrose, por exemplo. De acordo com o personal trainer Carlos Vidal, “existe uma perda natural de massa muscular no decorrer da vida. O ser humano perde cerca de 0,5% de massa muscular ao ano e acima dos 60 passa a perder 1%. A única forma efetiva de frear o surgimento dessas doenças é a musculação”.

Além dessas doenças existe um outro agravante quando que a falta de atividade física pode gerar: a sarcopenia. Trata-se de uma síndrome caracterizada pela perda progressiva e generalizada da força e massa muscular, que ocorre em consequência do envelhecimento. No entanto, embora seja observada principalmente em idosos, também pode se desenvolver em adultos jovens, em casos de demência e osteoporose. Os principais fatores de risco para a sarcopenia incluem sexo feminino, sedentarismo, tabagismo, atrofia por desuso, saúde fragilizada e fatores genéticos.

Para controlar essa perda de massa muscular os nutricionistas recomendam às pessoas que praticam atividades físicas o uso de suplementos alimentares. Com moderação, esses produtos servem para auxiliar o resultado que a atividade apresenta no corpo, uma vez que não é possível encontrar na alimentação diária os nutrientes necessários. Sendo assim, os suplementos fazem o papel de complementar essa carência de vitaminas, minerais, proteínas, óleos essenciais, etc.

As proteínas são macromoléculas biológicas presentes em todos os seres vivos desempenhando um vasto conjunto de funções no organismo. Os alimentos mais ricos em proteínas são os de origem animal como, por exemplo, a carne, o peixe, ovo, leite, queijo e iogurte.

Fonte Highlab

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *