Márcio Nobre presta depoimento sobre uso de verbas do casamento comunitário

Imagem: TV Vitoriosa

Imagem: TV Vitoriosa

Esse é o segundo depoimento de Márcio Nobre. Ele é investigado sobre um processo de promoção pessoal na época em ele que era presidente da Câmara Municipal. Nobre é um dos idealizadores do projeto Casamento Comunitário. A investigação é sobre a edição do projeto que aconteceu no ano de 2013. Ele estava acompanhado da advogada na delegacia de Polícia Civil, no bairro Umuarama. Antes do depoimento ele conversou com a imprensa.

Para a realização do Casamento Comunitário, existia naquele ano, uma parceria com a Instituição de Cristã de Assistência Social de Uberlândia, a Icasu, que administraria os recursos para a realização do evento, mas a Icasu desistiu de participar do projeto. A Secretaria de Desenvolvimento Social e Trabalho chegou a fazer o repasse no valor de 136 mil reais para a instituição que devolveu o dinheiro para a prefeitura. Segundo Márcio Nobre, o projeto aconteceu devido a recursos próprios dele e também por conta de parcerias.

Segundo Márcio Nobre, o contato feito entre gabinete e Icasu era feito através do chefe de gabinete dele.

Nobre não recebeu nenhum tipo de intimação para comparecer à delegacia. Ele diz que o Casamento Comunitário que foi realizado no dia 19 de outubro de 2013 aconteceu por conta da organização do movimento social Sou Cristão, Sou Cidadão.

O Casamento Comunitário aconteceu no estádio do Sabiazinho. Foram 350 casais que participaram da cerimônia. As inscrições eram realizadas através do gabinete quando Márcio Nobre era presidente da Câmara Municipal de Uberlândia.

Por Fernando Souza

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *