Mato cresce em vários pontos da cidade e gera transtorno

Imagem: TV Vitoriosa / Carlos Vilela

Imagem: TV Vitoriosa / Carlos Vilela

Mato pela cidade (com perdão da redundância) é: mato. Que ganha um aliado a mais com o período de chuvas. Terreno abandonado então é o espaço adequado. Como no Bairro Dona Zulmira, na zona oeste. A Rua do Quartzo perde a linha com esse lote imenso. Coberto pelo matagal, e com tudo o que ele esconde. De bicho a lixo. E às vezes até bandido. É o que o mestre de obras e confeccionista, Herton Divino, presencia constantemente bem ao lado da casa dele.

Até aí a questão diz respeito à área particular, onde o proprietário deveria ser notificado e punido pela falta de cuidado. Mas há também o mato – digamos – público, tirando o sossego do cidadão e a segurança no trânsito.

Num giro rápido pela cidade dá para ver mato mais alto que veículo na Cesário Crozara, no Roosevelt. Na taylor Silva, entre os bairros Guarany e Tocantins. Na rotatória do Anel Viário setor oeste. Na Avenida Paulo Roberto Cunha Santos, este acesso à BR-365 não dá a devida visibilidade para quem vai entrar na rodovia. Assim, como a rotatória entre os bairros Planalto e Luizote de Freitas. Para quem passa de carro o mato ainda não tira a visibilidade dos anúncios em outdoors. Mas tira a segurança e a paciência de quem passa no local.

Por Carlos Vilela

2 respostas a Mato cresce em vários pontos da cidade e gera transtorno

  1. Mônica disse:

    A cidade esta abandonada pelo prefeito atual que superfatura sobrecoxas de frango.
    Não temos investimentos na saúde, escolas e muito menos para a manutenção da cidade.
    Gostaria de entender o que se passa na cabeça deste prefeito, será que ele acha que conseguirá se candidatar para qualquer cargo político?
    Um desrespeito com os cidadãos.

  2. Anonimo disse:

    Também no setor sul, bairro Laranjeiras, tem uma área com bastante mato. Próximo a avenida Iraque.
    Já tem registros de assaltos naquela região, por conta do mato alto. Cadê o prefeito ? A Secretaria ?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *