Através do Procon, operadoras de telefonia móvel são avaliadas pela população

Telefonia movel procon uberlândiaA qualidade dos serviços das operadoras de telefonia móvel que atuam em uberlândia está sendo avaliada pela população. O trabalho é desenvolvido pelo Procon em parceria com a Comissão de Defesa do Consumidor da Câmara Municipal com o propósito de pedir melhorias no setor.

Qualidade em telefonia móvel, internet. Qual avaliação o consumidor faz da operadora? O preço é justo? E a área de cobertura, velocidade de sinal e conexão? Usando uma planilha e método inovadores, o Procon de uberlândia fez a consulta popular que avaliou as 6 operadores que atuam no cenário regional.

A pesquisa iniciada em 28 de maio foi encerrada dia 26 de junho e ouviu 1.382 pessoas. Para ter ideia do quanto representa o setor de telefonia móvel, de um universo de 100% de reclamações que chegam ao procon local, 70% refere-se a este setor de prestação de serviços. O final da pesquisa apresentou o seguinte resultado:

Área de cobertura

. 49,7% insatisfeito

. 29,2% nem insatisfeito nem satisfeito

. 21,1% satisfeito

Estabilidade de sinal

. 54,6% insatisfeito

. 27%   nem insatisfeito nem satisfeito

. 18,4% satisfeito

Velocidade de conexão

. 61,5% insatisfeito

. 24,5% nem insatisfeito nem satisfeito

. 14,%  satisfeito

Serviço de atendimento ao consumidor/ sac

. 55,1% insatisfeito

. 29,9% nem insatisfeito nem satisfeito

. 15,1% satisfeito

Acesso a informação

. 50,8% insatisfeito

. 32,3% nem insatisfeito nem satisfeito

. 16,9% satisfeito

Valor cobrado pelas operadoras

. 75,5% insatisfeitos

. 24,5% satisfeitos

Para o presidente da Associação Brasileira dos Usuários dos Serviços em Telecomunicações, Eduardo Rocha, as operadores estão mais sensíveis às necessidades de mudanças e entendendo que a união dos consumidores tem feito a diferença. “Elas estão abertas justamente pelo fato delas começarem a perceber hoje esse poder que o consumidor tem e justamente pela concorrência também que existe hoje de poder mudar de operadora”, disse o presidente da ABUST, Eduardo Rocha.

Mas com tanta insatisfação manifestada pelos usuários através da pesquisa, sera possível ao procon fazer com que as operadoras respeitem os consumidores e cumpram com as exigências? “A gente vai sim tomar providência, uma vez que o consumidor não pode, mais uma vez ser a corda que arrebenta pelo o lado do mais fraco”, ressaltou o superintendente do Procon de Uberlândia, Frank Resende.

A consulta popular foi apoiada e seguida de perto pela comissão de defesa do consumidor da Câmara Municipal, presidida pelo vereador Adriano Zago, do PMDB. “Tabulamos essa pesquisa, ela será apresentada pelo superintendente do Procon, Frank Resende. Os encaminhamentos tirados daqui possam trazem melhorias para o consumidor”, finalizou Zago.

Por Antônio Pimenta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *