Assassinos de Sem Terras de Miraporanga vão à julgamento

assassinato sem terraA chacina em 27 de março de 2012 chocou. O crime registrado na ponte do Rio Estiva, próximo ao distrito de Miraporanga, tirou a vida de três membros do movimento sem terra.

Valdir Dias Ferreira, de 40 anos, e Clestina Leonor Sales Nunes, de 48 anos, foram mortos a tiros dentro do carro. Milton Santos Nunes da Silva, de 52 anos, tentou fugir, mas foi atingido logo que saiu do veículo.

Em junho do mesmo ano a Polícia Civil prendeu o principal suspeito de ter cometido os crimes. Rodrigo Cardoso, vulgo Gauchinho, estava com 25 anos.

Em março de 2013, um ano depois, a justiça decidiu que mandaria a júri popular José Alves de Souza, vulgo “Zé Roleta”,Rodrigo Cardoso Frick, vulgo “Gauchinho”, Rafael Henrique Afonso e Willian Gonçalves da Silva.

Gabriel Guimarães

Uma resposta a Assassinos de Sem Terras de Miraporanga vão à julgamento

  1. Caçador de predadores disse:

    Vão apodrecer na cadeia, vagabundos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *