PM prende três sequestradores e recupera pedras precisoas

 

Na noite da última segunda-feira, 01 de setembro, a Polícia Militar prendeu três homens suspeitos de sequestrarem um idoso de 63 anos de idade, em Patos de Minas. De acordo com os militares, a motivação do sequestro seria uma dívida que o idoso teria com relação ao mercado de garimpo.

A polícia afirmou que recebeu uma denúncia de que um homem estava sendo agredido nas proximidades da rodoviária da cidade, e colocado a força dentro de uma caminhonete preta. No local, uma testemunha passou aos militares a numeração da placa da suposta caminhonete. Após levantamento de informações, os homens foram localizados na cidade de Pindaíbas, com a vítima, o veículo usado na ação, armas brancas e de fogo, munições, dinheiro e algumas pedras semipreciosas.

Um dos suspeitos disse aos policiais, que depois de uma negociação mal sucedida com o idoso, acabou perdendo uma grande quantidade de dinheiro. Portanto, o motivação do sequestro seria uma forma de se vingar e de recuperar o prejuízo.

A vítima negou a existência de qualquer dívida com o suspeito, e disse estar na cidade de passagem. Ele acredita que os homens ficaram sabendo das pedras e decidiram cometer o crime. Pois, segundo o idoso, são valiosas.

Apesar da vítima afirmar que se tratavam de pedras legais, raras e de valores que ultrapassam a casa do milhão. Consta no boletim de ocorrência que a procedência das pedras ainda é desconhecida, e que um geólogo foi solicitado para analisar o material. Foi constatado que são pedras semipreciosas, avaliadas em R$ 250 mil e conhecidas como topázio imperial.

Os três suspeitos, identificados como Agnelo Souza Teixeira, 41 anos, Renato Rosa Silva, de 37, e Ronaldo Teixeira de Souza, de 29, foram presos e levados à delegacia de Patos de Minas, e inicialmente responderão pelos crimes de sequestro e posse ilegal de arma de fogo. A polícia também declarou que as 500 g da pedra que foram apreendidas terão a procedência investigada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *