Acusados de matar professora durante arrastão em Uberaba são condenados a 29 anos

Professora-morta-em-Uberaba

Foto: Reprodução TV Alterosa/SBT

A justiça de Uberaba, por meio do juiz Ricardo Cavalcanti Motta, condenou a 29 anos e seis meses de prisão os três acusados da morte da professora Natálya Dayrell de Carvalho, em uma troca de tiros durante assalto no ano de 2013. Lucas Gonçalves de Sousa, Maycon Henrique Gonçalves de Sousa e Rodrigo Matheus de Lima Fonseca cumprirão a pena em regime fechado pelos crimes de roubo qualificado e latrocínio.

Os assaltantes trocaram tiros com um policial que estava à paisana no momento do assalto. O PM Luander Silva de Oliveira foi absolvido e teve o inquérito arquivado. Já os condenados, não terão direito de recorrer em liberdade.

O arrastão que terminou no latrocínio ocorreu no dia 1º de outubro de 2013 em um bar no Bairro Nossa Senhora da Abadia. Segundo a polícia, usando armas de fogo, os autores Lucas e Rodrigo invadiram o estabelecimento e, sob ameaça roubaram vários pertences das vítimas, mediante ameaças e portando arma de fogo. Enquanto isso, Maycon dava cobertura em carro estacionado próximo ao local.

A professora Natálya Dayrell foi atingida por um tiro depois que percebeu a ação criminosa e saiu correndo do bar. Ela tentou se esconder atrás de um carro estacionado, sem perceber que aquele era o veículo usado pelos assaltantes.

Luander, que também estava no bar, esperou a abordagem dos criminosos à última vítima e começou a atirar. Houve troca de tiros e um deles acabou atingindo Natálya, que morreu após ser socorrida ao Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Triângulo Mineiro (HC-UFTM).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *