Uberlândia terá Centro Tecnológico de Aquicultura

A estação de piscicultura da BAP é considerada uma das sete melhores da América Latina

Nesta quarta-feira (20), será assinado o protocolo de intenções entre o Ministério da Pesca e Aquicultura a e PMU com o objetivo de implantar o Centro Tecnológico de Aquicultura Familiar de Uberlândia. A estrutura era a antiga Base Avançada de Pesquisa (BAP) do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA) e será devolvida para o Município, que criará o centro com a finalidade de dar suporte para a produção de peixes pelos pequenos e médios piscicultores, priorizando a agricultura familiar no município.

A estação de piscicultura da BAP é considerada uma das sete melhores da América Latina. Desativada há aproximadamente dez anos, a área fica no bairro Chácaras Tubalina, região oeste de Uberlândia. É um local com grande potencial de utilidade para a população, como por exemplo, extensão de trabalhos escolares. O espaço conta com mais de 30 tanques de sete a 10 mil metros quadrados de lâmina de água para piscicultura. Além dos tanques, há uma barragem abastecida pelo Córrego do Óleo, uma estação de ranicultura, edificações e área verde. A Fundação de Excelência Rural de Uberlândia (Ferub) tem sido responsável por conduzir os projetos de revitalização com o apoio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente.

“O intuito é desenvolver grandes trabalhos com o IBAMA na revitalização dessas áreas. Temos como tarefa até o final do governo, inserir o peixe na merenda escolar. Esse é um projeto diferenciado, que valoriza o pequeno produtor. É uma forma de incluirmos um alimento saudável e nutricional, aliado a geração de trabalho e renda”, destacou o prefeito Gilmar Machado.

Uberlândia tem grande potencial hídrico passível de aproveitamento para produção de peixe e conta com poucos empreendedores que investem na piscicultura em tanque-rede. O centro estará voltado para o atendimento prioritário aos piscicultores familiares, oferecendo alevinos de boa qualidade genética, novas tecnologias no cultivo de peixes, cursos técnicos de curta duração, assistência técnica especializada apoiada por laboratórios e técnicos, abate e processamento de peixes, marketing e comercialização.

“Serão necessários aproximadamente R$ 10,5 milhões para recuperação, adaptação e ampliação da infraestrutura física da antiga BAP para o funcionamento do Centro Tecnológico. Porém, esse valor será gasto com o tempo, conforme liberação do Ministério. De imediato, nos próximos 30 dias estaremos iniciando a revitalização do local e a recria de alevinos com os recursos disponíveis na Ferub”, destacou o superintendente da Ferub, Aniceto Ferreira.

A metodologia de trabalho do Centro Tecnológico estará alicerçada no ensino, pesquisa e extensão em piscicultura. As técnicas de cultivo adotadas serão a reprodução artificial de peixes nativos, reprodução de tilápia, cria e recria de alevinos e juvenis, engorda no sistema convencional e em tanque-rede, monitoramento da qualidade da água, abate, processamento e comercialização do pescado.

Abertura da Femec

Autoridades representando as três esferas do Poder Executivo fizeram questão de destacar a importância da Feira de Máquinas, Equipamentos, Insumos Agrícolas e Veículos Utilitários (Femec), o seu crescimento e a relevância no cenário nacional, durante a abertura da segunda edição do evento, hoje no auditório do Sindicato Rural de Uberlândia.  Várias autoridades estiveram presentes na solenidade, dentre elas o prefeito Gilmar Machado e o secretário de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais, Elmiro Nascimento. O evento é realizado pelo Sindicato Rural e tem a parceria da Prefeitura de Uberlândia que nessa edição vai apresentar a 1ª Mostra de Piscicultura do município e a Feira da Agricultura Familiar. Outra novidade é a Feira de Touros do Programa Pró-Genética.

Em seu discurso, o presidente do Sindicato Rural, Thiago Fonseca, destacou o crescimento da feira. “A primeira edição foi um desafio que deu certo. Neste ano dobramos o número de expositores e esperamos superar as expectativas de negócios”, disse Thiago.

 

“Estive na primeira edição e acredito que em pouco tempo essa feira será a maior do Brasil. Temos que reconhecer a força do agronegócio e a sua expressiva geração de renda. Minas Gerais é o grande celeiro do país, ostentando 13,4% de participação do PIB do agronegócio nacional”, afirmou o secretário Elmiro Nascimento.

A entrada na feira é gratuita. O evento é destinado a agricultores familiares e produtores rurais de médio e grande porte das regiões do Triângulo Mineiro, Alto Paranaíba, Noroeste de Minas e Goiás. O parque ficará aberto para visitação das 10h às 20h, com apresentação e venda de equipamentos e realização de palestras, oficinas e workshops.

Durante a Feira da Agricultura Familiar, haverá apresentação de produtos do Feirão Mais Alimentos, um programa do Ministério do Desenvolvimento Agrário que visa fomentar a produção de alimentos por meio da agricultura familiar, financiando equipamentos e projetos de investimento para modernização das propriedades.

 

Municípios vão receber máquinas do PAC

 

O ministro do Desenvolvimento Agrário (MDA), Pepe Vargas, participa hoje da Femec, oficializando a entrega de maquinário a 22 municípios. As retroescavadeiras serão entregues aos prefeitos da região para as obras de benfeitorias na zona rural. As máquinas foram adquiridas na segunda etapa do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2). A solenidade acontece às 9h, na arena central do Parque de Exposições do Camaru.

Os municípios beneficiados pelo programa são: Araporã, Centralina, Campo Florido, Carneirinho, Cruzeiro da Fortaleza, Douradoquara, Guimarania, Gurinhatã, Irai de Minas, Limeira do Oeste, Monte Carmelo, Prata, Romaria, Santa Juliana, Santa Rosa da Serra, Santa Vitoria, São Gotardo, Tupaciguara, Varjão de Minas, Veríssimo, Brasilândia de Minas e Joaquim Felício.

Fonte: Ascom

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *