Projetos movimentam o plenário da Câmara de Uberlândia

O período de sessões ordinárias de fevereiro deve terminar nesta quarta-feira (20).

O período de sessões ordinárias de fevereiro deve terminar nesta quarta-feira (20).

O início da semana foi movimentado para os vereadores no plenário da Câmara de Uberlândia. A expectativa é apreciar os principais projetos enviados pelo prefeito Gilmar Machado. O período de sessões ordinárias de fevereiro deve terminar nesta quarta-feira (20).

Dois pedidos de vista do vereador Felipe Attiê movimentaram a o plenário nesta segunda-feira (18). Um deles foi o projeto que concede isenção ao pagamento dos Custos de Gerenciamento Operacional (CGO), às empresas de transporte público de Uberlândia. O projeto que foi apresentado pelo executivo serve de base para o aumento de descontos aos estudantes e a alteração da gratuidade para os idosos.

O líder do prefeito, professor Neivaldo, disse que não tem nenhum problema com o projeto, mas esperava que ele fosse votado ainda nesta terça-feira (19). “Nós autorizamos a vista até mesmo para que o vereador tenha tranquilidade na hora de votar, mas não existe nenhum equívoco no projeto, não há problemas com os números e o projeto está completo”, firma o vereador.

O primeiro pedido de vista do vereador Felipe Attiê passou foi aprovado mas, o segundo não. O vereador queria mais detalhes sobre um projeto do prefeito Gilmar Machado que mudaria a função de três prédios nos bairros Morumbi, Tocantins e Santa Rosa. Nestes locais funcionam Centros de Capacitação, e o projeto pretende torná-los em creches onde poderiam ser atendidas cerca de 1,2 mil crianças em idade pré-escolar.

“Eu queria entender esse projeto que o prefeito Gilmar Machado  combinou com o vereador João Bittar. Porque o projeto não está nem na pauta e isso vai acabar levando a gente ter que verificar não aqui (na câmara dos vereadores), mas no Ministério Público para ver se tem algum erro”, conclui o vereador Felipe Attiê.

Já nesta segunda-feira o projeto foi votado e aprovado. Hoje estava prevista a segunda discutição e com ela as apreciações das emendas.

No ano de 2012, Adriano Zago foi contra ao aumento de 54% no salário dos vereadores.

No ano de 2012, Adriano Zago foi contra ao aumento de 54% no salário dos vereadores.

Outro assunto que levantou discussão na câmara nos últimos dias foi a devolução de parte do salário feita pelo vereador Adriano Zago, referente ao aumento aprovado na última legislatura.

Os R$ 3.118,31 foram doados pelo vereador ao Fundo Municipal da Criança a do Adolescente, dinheiro este que corresponde ao reajuste na folha de pagamento que Zago, teve desde o início da nova legislatura. A doação de parte do salário foi um compromisso de campanha feita pelo vereador que chegou a registrá-lo em cartório. No ano de 2012, Adriano Zago foi contra ao aumento de 54% no salário dos vereadores.

“Fiz o compromisso caso fosse reeleito, ou seja, fosse beneficiado com o novo salário, e que eu devolveria ou doaria esta diferença. Não que o vereador não mereça ganhar R$ 15 mil, o que eu não concordei, foi com a forma proposta do aumento. Ou seja, dar 54% de aumento de uma vez só, em qualquer salário, eu não julgo correto”, afirmou o vereador reeleito, Adriano Zago.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *