Idosa vivendo em condições precárias pede ajuda

Casa de Dona Tereza

Casa de Dona Tereza

Uma idosa de 98 anos, que mora na cidade de Araguari, passa por dificuldades em sua própria residência cuja situação chega à precariedade.

A equipe de reportagem do Linha Dura Araguari foi chamada por um homem que se comoveu com a atual situação vivida pela idosa.

Dona Tereza mora sozinha, tem problemas cardíacos e depende de uma pensão mensal de aproximadamente R$ 250. Segundo a idosa, ela criou cinco filhos, que não a visitam atualmente e pediu ajuda para sair da condição sub-humana em que vive.

6 respostas a Idosa vivendo em condições precárias pede ajuda

  1. Catarina disse:

    Imaginem uma senhora nessa idade e lúcida. Ela deve sofrer muito por tentar fazer tarefas domésticas e não conseguir. Meu Deus, mova montanhas, Senhor. Que o povo de Deus ajude essa senhora.

  2. luciene disse:

    realmente não sei o que dizer,esses’fihos’ deveriam ter vergonha na cara de deixar a propria mãe nessas condiçoes,meu Deus como pode ter gente desse jeito e os vizinhos que não ajudam essa senhora não tem amor no coração

  3. adriano disse:

    muito triste…ohhhh meu deus como pode exister filhos ingratos que nao ajudam nem a mae…o ser humano vei ao mundo para decepcionar e destruir…

  4. Jeferson disse:

    Pergunta que não quer calar!!!! Como a Secretaria de Assistência Social de Araguari permitiu que essa senhora vivesse por tanto tempo nesse total abandono. Isso e uma situação inadimicivel de sobrevivencia humana.

  5. juliana disse:

    essa mae foi boa ate quando deu estudo e muitomais agora que os filhos sao casadaos nao dao aminima opara ela cade a assistencia social da cidade ela e lucida sabe o que realmente quer agora colocar no asilo para tomar o restinho que ela consegue ficar da aposentadoria

  6. VIRGINIA disse:

    meu coração corta de tristeza por ver uma reportagem assim, ai se eu tivesse minha vozinha, nunca a deixaria passar por isso, nunca mesmo ..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *