Denúncias indicam desvio de cestas básicas do Pró-Pão

Cópias de documentos em posse do suspeito

Cópias de documentos em posse do suspeito

Uma denúncia grave envolvendo o Fundo Municipal de Alimentação Popular (Pró-Pão) levou à prisão de uma pessoa nesta terça-feira (15). A denúncia é de desvio das cestas básicas que deveriam ser repassadas à beneficiários cadastrados no programa.

A Polícia Militar chegou à prisão do suspeito ao perceber uma movimentação no Distrito Industrial, onde um caminhão fazia a distribuição das cestas em um dos pontos cadastrados pela própria prefeitura. Os policiais abordaram um homem de moto que carregava uma mochila nas costas, que estava próximo ao caminhão. Na bolsa foram encontrados diversas cópias de documentos de identidade, outros originais e documentos da Prefeitura de Uberlândia.

Carnês do Pró-Pão encontrado com acusado

Carnês do Pró-Pão encontrado com acusado

Em buscas na casa do suspeito, a PM encontrou mais documentos de identidade. No total, foram apreendidos 500 identidades originais e cópias, R$ 263 em dinheiro, 183 carnês do Pró-Pão, cada um com direito a três cestas básicas, totalizado 732 cestas.

Segundo o cabo Marcelo Nunes, os dois homens que estavam no caminhão seriam funcionários da prefeitura. Já o homem que portava os documentos trata-se do mototaxista Agmar Balbino. “Como uma pessoa que não é funcionária da Prefeitura está com tantos documentos de pessoas cadastradas na Prefeitura? Nesses cadastros há pessoas que já não estavam mais vinculadas ao sistema, mas o nome estava ativo”, questionou o policial.

Mototaxista acusado de fraudar o Pró-Pão

Mototaxista acusado de fraudar o Pró-Pão

O mototaxista defendeu-se afirmando que portava documentos e carnês de clientes para pegar as cestas para eles. “Tem muita identidade que eu já não tenho os carnês das pessoas. Só que eu não podia jogar na rua, não podia jogar fora. Se um dia eles me ligassem, eu devolvia pra eles”, argumentou o suspeito.

Segundo levantamentos da PM, as irregularidades ocorrem há pelo menos 16 anos. Uma das vítimas, Agnaldo Ferreira, antigo beneficiário do programa, afirmou que há dois meses não pega a cesta básica, que estaria sendo desviada sem o conhecimento dele. Outro questionamento da PM é a maneira como a documentação saiu da base de dados da prefeitura e chegou até o acusado.

Documentos originais também foram encontrados na casa do suspeito

Documentos originais também foram encontrados na casa do suspeito

A secretária municipal de Agropecuária e Abastecimento, Valquíria Naves, recebeu a informação com surpresa. “Essa cesta não é gratuita. O próprio beneficiário paga R$ 44,80… Quer dizer: ele paga e pega a cesta mediante o ticket pago. Então é surpresa como isso está acontecendo”, espantou-se a secretária, afirmando que investigará internamente o possível desvio.

“Nós vamos abrir um processo administrativo. Porque nós não temos documentos dos beneficiários. Nós temos uma relação, um cadastro. Então, a documentação não saiu por parte da secretaria, porque nós não temos posse [dos documentos pessoais]. Nós fazemos conferência do documento no momento em que ele vai retirar a cesta no ponto e o ticket pago”, finalizou.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *