Nota dez para MARIETA

Ely Paschoalick e Marieta

Hoje quero homenagear uma pessoa comprometida com o ensino-aprendizagem e sempre desejosa de aprender cada vez mais, quero dar NOTA DEZ para a professora Marieta Fagundes de Queiroz. Nascida em Campo Grande – Mato Grosso do Sul – em 23 de setembro de 1957 Marieta é um exemplo de esforço, superação, competência, humanidade e espírito cristão.

Esforço e superação porque 20 anos após ter terminado seu ensino médio resolve retomar seus estudos formando-se primeiramente como professora para a primeira fase do Ensino Fundamental (crianças de 6 a 10 anos) e posteriormente gradua-se em pedagogia, com louvor e respeito de todos os colegas de classe, do trabalho e apoio e admiração de seus familiares.

Marieta em sua formatura em Pedagogia

Marieta nos demonstra humanidade e espírito cristão não só na sala de aula onde pratica a inclusão como também participando efetivamente de mutirões e Ações Sociais em diferentes comunidades realizando atividades recreativas, contação de histórias e desenho para crianças.

Marieta é mãe de 4 filhos: Manoel Junior, Pedro, Ruth e Raquel Hellen porém seu genro José Nilson e sua nora Aline considera-a também sua mãezona. Atualmente Marieta desfruta do prazer de acompanhar o desenvolvimento de seu neto Miguel a quem muito estimula.

Administrar sua própria formação continuada é preconizada pelo sociólogo suíço Philippe Perrenoud como competência a ser desenvolvida pelo professor no século XXI. Esta competência faz parte da natureza curiosa de Marieta, pois, cumprindo o desejo de seu coração de ser uma educadora atualizada, ela participa assiduamente de diferentes encontros, cursos, simpósios, palestras, congressos e treinamentos.

A professora que hoje ganha nota dez nesta coluna, destaca como temas inesgotáveis e irresistíveis: ética, sexualidade e educar na diversidade. Esta sua postura de “eterno aprendiz” faz de Marieta uma professora diferenciada sendo sempre solicitada para ficar com os alunos “difíceis e rejeitados” ou pelas dificuldades de aprendizagem que trazem consigo ou por seus comportamentos inadequados e agressivos.

Observar a paciência e firmeza com que Marieta aceita, convive, estimula e transforma tais alunos, é algo extraordinário, pois fica palpável e visível que ela desperta em tais alunos, sentimentos de competência, carinho, respeito e coletividade.

A professora Marieta um dia foi surpreendida pelo resultado obtido com uma aluna de 4 anos que batia muito nos colegas. Certa ocasião a menina dava fortes puxões de cabelo em outra coleguinha. Ao separar as duas a menina chutou muito a professora e esta ficou preocupada para achar uma saída para aquela situação e resolver o conflito interno de agressividade no qual aquela criança vivia atolada.

Contou-lhe, carinhosamente a história do “Riacho Formoso” onde a água era tão limpa, tão limpa que podia ver as plantas do fundo, os peixes nadando mas uma vez, a água estava toda poluída. Marieta fez perguntas que levou aquela pequena de 4 anos a pensar e fazer uma analogia da poluição do rio com a poluição do comportamento. A menina ficou muito desapontada ao perceber que seu coração estava poluído e fez propósito de mudança.

Com firmeza e carinho Marieta monitorou tais propósitos para que fossem fazendo parte da realidade daquela criança. A transformação gradativa daquele comportamento serviu de âncora, segundo Marieta, para aceitar e acreditar que mudanças acontecem através de intervenções amorosas que potencializam as qualidades e flagram o certo passando a mensagem de que o certo é certo em qualquer circunstância e que o erro pode ser evitado através do auto-controle.

Por estes casos e outros é que Marieta destaca como frase especial sobre educação: “Educar é viajar no mundo do outro sem nunca penetrar nele. É usar o que passamos para transformar no que somos”. Augusto Cury.

NOTA DEZ para Marieta por acreditar que todos têm possibilidades positivas dentro deles.

NOTA DEZ para Marieta por levar crianças a pensar sobre seus sentimentos e a sentir sobre seus pensamentos.

NOTA DEZ para Marieta por ter a prática de evidenciar o bom, o correto, as competências de cada um.

NOTA DEZ para Marieta que se desafia a aceitar todos os tipos de crianças e leva-os a conviver com a diversidade.

NOTA DEZ para Marieta que é geradora de um ambiente respeitador da dignidade humana, justiça, respeito mútuo e solidariedade na sala de aula.

Marieta aplaudida por toda família.

coluna.educacao

Sobre Coluna Educação

Ely Paschoalick é educadora e consultora em comportamento humano, nascida em Batatais - SP. É a terceira filha dos educadores sociais Guilherme Paschoalick e Maria Alzira Corrêa Paschoalick. Ely é avó de cinco netos Eduardo, Fernando, Roberto, Nikolas e Guilherme. É mãe de Tatiana Cristina, Vanessa Cristina e Moisés Guilherme. Paschoalick realiza palestras por todo o Brasil; atende consultas de orientação às crianças, jovens, pais, professores, supervisores e demais envolvidos no processo educacional; presta consultoria educacional aplicada em escolas e consultoria organizacional a empresas de prestação de serviço, comércio e indústria. É mediadora do programa "Concentração Training" cujos exercícios ampliam o poder de: Observar! Analisar! Perceber! Comparar! Sintetizar! Concluir! E auxiliam o aluno a desenvolver uma autoestima positiva. Ely é colunista de vários sites e constantemente está na mídia regional do Triângulo Mineiro -onde reside- que carinhosamente a chama de "Super Nany do Cerrado”. Ely Paschoalick possui formação em Administração Escolar, com especialização em consultoria Organizacional e Educacional. Atua profissionalmente desde 1968 tendo ministrado palestras, cursos e consultas para mais de 30 mil pessoas atendendo consultas a alunos de todas as idades, pais e educadores.

2 respostas a Nota dez para MARIETA

  1. Querida Ely, parabenizo a vocês duas tanto pela referência quanto pelo referido, porque nunca foi tão válido o elogio de um bom exemplo quanto ele próprio…
    -Conheço bem a cidade de Campo Grande e essa história me fez lembrar minha passagem de cerca de 5 anos a morar por lá.
    -Um beijo em vossos corações idealistas!

  2. Julie Ana disse:

    Olá Ely,

    Confirmo a nota 10 para esta serva-mulher-mãe-professora-amiga de Deus. Respeitada pelas colegas de trabalho, como minha tia Suelena, por ser uma professora paciente e que ama o que faz. Parabéns, professora Marieta, em extinção em nós. Julie Ana

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *