Cuidados odontológicos nos pacientes oncológicos

A quimioterapia é um tratamento que utiliza medicamentos para destruir as células que formam um tumor. No entanto, essa terapia não diferencia as células doentes das células sadias. Hoje em dia, busca-se tirar o máximo proveito dessas drogas com o mínimo de efeitos colaterais.

O tratamento do câncer começa pela boca. Os cuidados odontológicos são fundamentais no processo de recuperação do paciente com câncer e devem iniciar antes mesmo da quimioterapia, radioterapia ou cirurgia.

O ideal é que o paciente se submeta a uma avaliação odontológica antes de se iniciar a quimioterapia, pois complicações bucais advindas da baixa imunidade provocada por ela podem exigir a interrupção do tratamento oncológico. Esse atendimento odontológico visa eliminar qualquer possibilidade de manifestação infecciosa preexistente, como doença periodontal, lesões endodônticas, ulcerações em mucosa e cáries extensas.

As manifestações indesejadas na boca provocadas pelo tratamento contra o câncer costumam aparecer imediatamente após o seu início. As mais comuns decorrentes da quimioterapia são:

dificuldade para falar, se alimentar e engolir provocadas pela diminuição da saliva e sensação de boca seca (xerostomia); inflamação e dor na mucosa bucal (mucosite), aumento da incidência de cáries, gengivite e periodontite, alterações do paladar, limitação da abertura bucal (trismo) e infecções oportunistas causados por fungos, bactérias ou vírus.

A radioterapia também pode causar além da xerostomia, que é a “sensação de boca seca” a Osteorradionecrose (morte de células do osso previamente irradiado com radiação ionizante).

Fiquem de olho:

– Lesões na boca que não cicatrizam em até 15 dias

– Dificuldade para engolir

– Dor ao mastigar e dor de garganta persistente

– Rouquidão

– Inchaço ou “caroço” na boca

– Sensação de dormência na boca ou nos lábios

– Dor de ouvido persistente de um lado só

Em qualquer dessas situações procure um cirurgião-dentista especialista em Estomatologia, pois esse profissional poderá lhe dar o diagnóstico da alteração, bem como orientar o tratamento mais adequado, indicando sempre que necessário o acompanhamento médico indispensável, nos casos oncológicos.

O tratamento odontológico eletivo, ou seja, não emergencial, pode ser feito entre os ciclos de quimioterapia. Durante a quimioterapia o paciente deve receber acompanhamento odontológico para minimizar danos e desconfortos bucais dela decorrentes. A laserterapia é uma das condutas indicadas para reverter lesões teciduais, associada à prescrição de antifúngicos.

Este panorama reforça a importância da participação do Cirurgião dentista na equipe multiprofissional envolvida no diagnóstico e tratamento do câncer bucal, podendo impactar positivamente na qualidade de vida dos pacientes.

Fontes:

http://www.einstein.br/einstein-saude/em-dia-com-a-saude/Paginas/cuidados-odontologicos-em-pacientes-
com-cancer

http://saude.terra.com.br/saude-bucal/atualidades/paciente-com-cancer-precisa-de-cuidados-orais-especiais

http://www.lesoesbucais.com.br/ler_artigo

coluna.saudebucal

Sobre Coluna Saúde Bucal

Dr. Alexandre Vieira Fernandes graduou-se em Odontologia pela Universidade Federal de Uberlândia em dezembro de 1985. É mestre e doutor em Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial e mestre em Estomatologia pela UNESP - Araçatuba. Atuou como pesquisador pelo CNPq na área de CTBMF e como professor do curso de Odontologia da Universidade Federal de Uberlândia. Atualmente é docente de Cirurgia e Traumatologia Buco-maxilo-facial do Curso de Odontologia da UNITRI. Diretor presidente da Primer Odontocenter - www.primerodontocenter.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *