Animação 3D com MOCAP: Empresas inovam na comunicação

Qual é a principal semelhança entre os filmes Avatar, Piratas do Caribe e o personagem Gollum, de Senhor dos Anéis? Ambos utilizam um tipo de animação por captura de movimento, muito requisitado no cinema, na publicidade e na TV. Gamers são apaixonados pela técnica e os departamentos de marketing de empresas já despertam para criações de mascotes animadores próprios para fins institucionais.

Coluna Cinema

Para se criar um personagem é fundamental seguir alguns passos. Primeiro, desenhamos o personagem de modo que possamos estudar a anatomia do corpo e do rosto. A próxima ação é passar os diagramas ou modelsheet para o processo de modelagem.

Coluna Cinema 2

O processo é vagaroso e merece muita atenção, já que temos de trabalhar os mais delicados traços do personagem – um passo vital, que vai garantir uma boa animação.

Depois de modelado, o que vai tornar possível a animação – tanto clássica quanto com captura de movimento – é um RIG, a montagem dos controles de animação e estrutura hierárquica de junções para animação. Os controles possibilitam uma deformação tanto suave quanto agressiva, sem prejudicar a estrutura da malha do personagem.

Coluna Cinema 3

E para se criar uma animação o mais realista possível, é fundamental que a equipe de animadores tenha em mãos um bom equipamento de captura de movimento. Referência no mercado, as soluções da Optitrack System utilizam o sistema de captura por câmeras com sensores de infravermelho; já a Xsens baseia-se em sensores wireless, presos ao ator, dispensando câmeras. Neste caso, usamos o sistema da Motion Shadow – também utilizando sensores presos ao corpo. 

Coluna Cinema 4

Produtoras de cinema e audiovisual contratam para terem efeitos visuais em seus materiais e filmes, onde um personagem 3D interage com atores reais. Às vezes serve de dublê para cenas muito complicadas ou que contenham riscos para humanos. Há, também, as produtoras de games que utilizam muito o recurso da captura de movimentos hoje em dia.

Na parte técnica, é importante que os animadores sejam bem treinados, pois o processo exige também animações feitas de modo tradicional. Nesse trabalho o animador movimenta o personagem usando técnicas de animação clássica – frame a frame, ou pose a pose – e a animação por captura de movimento, utilizando um ator que terá preso ao corpo sensores de movimento. Ao interpretar a cena, seus movimentos serão adaptados ao personagem.

Treinamento e Motivação – Para quais fins empresas agências de publicidade, departamentos marketings e empresas, em geral, costumam solicitar este serviço? Em geral, esse tipo de recurso de animação é usado por empresas para se apresentar ou lançar produto, serviço ou algum tipo de apresentação especial, que mereça cuidado, entretenimento e sinergia com a marca que nos procura.

Por ser uma solução cada vez mais barata, é garantido que empresas façam uso da tecnologia de animação com maior frequência, nos próximos anos. Ao cinema, é um recurso que o torna muito mais divertido e faz os jogos eletrônicos famosos, como Devil May Cry, Metal Gear e Assassins Creed muito mais realistas.

A grande sacada da captura de movimento é que é garantido que todos os projetos saiam com perfeição e esteja acima das expectativas.

* Leandro Ramos – Animador 3D de personagens e Técnico em Efeitos Visuais da Marionete Estúdio de Animações e VFX. Especialista em efeitos visuais e animações, realizando criações para campanhas da Vale, Petrobrás, Pirelli, Andrade Gutierrez, Casa e Video. www.estudiomarionete.com.br
coluna.sextanocinema

Sobre Coluna Sexta no Cinema

Ronaldo Pedroso é jornalista, blogueiro. Atua como redator do portal Uipi! e editor do programa Chumbo Grosso, da TV Vitoriosa, afiliada ao SBT. É amante da cultura, especialmente da sétima arte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *